Item adicionado ao carrinho

Item removido do carrinho

 
 
 
 
Ver detalhes

Meu carrinho ({carrinho_nitens} itens)

Você ainda não possui compras em seu carrinho
 

ENGENHARIA DE SEGURANÇA - PROVAS RESOLVIDAS e COMENTADAS DE CONCURSOS PÚBLICOS (2004 A 2006)

  • Nº DE PÁGINAS : 257; FORMATO DO PAPEL: A4; CAPA COLORIDA: CONTEÚDO: PRETO e BRANCO; ACABAMENTO: BROCHURA.

R$ 90,00
Esse produto encontra-se indisponível.Deixe seu contato que avisaremos quando chegar.
Avise-me quando disponível

Este material tem por objetivo servir de apoio para aqueles que prestam concursos públicos na área de Engenharia de Segurança do Trabalho. São 476 exercícios resolvidos e comentados, todos referentes aos conhecimentos específicos, com o propósito de fazer com que o leitor entenda de forma clara e objetiva o assunto. Tendo em conta a dificuldade de encontrar material disponível na área e a extensa lista de conteúdos exigida para esses concursos, a intenção é que através deste material, o leitor consiga aprofundar conceitos, entrar em contato com o que está sendo exigido e se preparar para as provas escolhidas.

PROVAS ESCOLHIDAS:
- CASA DA MOEDA - 2005 (CESGRANRIO);
- TRANSP. GASODUTO BOLÍVIA/BRASIL - 2006 (UFRJ); 
- IPLANRIO - 2005 (FJG); 
- ELETROBRÁS - 2006 (UFRJ); 
- GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ - 2006 (UFRJ); 
- PETROBRÁS - 2005 (CESGRANRIO);
- INFRAERO - 2004 (UFRJ);
- TRT-3/MG - 2006 (FCC); 
- MTE - 2006 (ESAF); 
- PROCAPE - 2005 (UPE); 
- ELETRONORTE - 2006 (UFRJ); 
- MPU - 2004 (ESAF);
- AGANP - 2006 (UEG).

DADOS DA OBRA:
ELABORAÇÃO:
GICÉLI SANTOS DE CAMARGO; MÁRCIO DE FREITAS
CAPA: GILSON CAMARGO

Segue abaixo um exercício para demonstração de como o material foi elaborado:
Em um posto de trabalho, um trabalhador expõe-se, diariamente, durante 8 horas, a um ruído conforme a seguinte situação: 87 dB(A) por 4 horas; 88 dB(A) por 1 hora; 85 dB(A) por 1 hora e 30 minutos; e 80 dB(A) por 30 minutos. Os limites de tolerância para cada exposição são: 87 dB(A) por 6 horas; 88 dB(A) por 5 horas; 85 dB(A) por 8 horas. Quanto a essa situação hipotética, assinale a opção correta.

(A) A exposição está acima do limite de tolerância.
(B) O fator de desvio a ser utilizado para estabelecer o valor máximo de exposição nessa situação é de 1,5.
(C) A exposição deve ser considerada insalubre em grau máximo.
(D) Não deveria ser permitida a exposição do trabalhador, caso ocorressem níveis de ruído acima de 115 dB(A).
(E) A situação é de risco grave e iminente. 

Resolução:
De acordo com a NR 15 - Atividades e Operações Insalubres - Anexo I, Limites de Tolerância para Ruídos Contínuo ou Intermitente; Item 6:
Se durante a jornada de trabalho ocorrerem dois ou mais períodos de exposição a ruído de diferentes níveis, devem ser considerados os seus efeitos combinados, de forma que, se a soma das seguintes frações:
(C1/T1) + (C2/T2) + (C3/T3) + ..... + (Cn/Tn) exceder a unidade, a exposição estará acima do limite de tolerância.
Na equação acima, Cn indica o tempo total que o trabalhador fica exposto a um nível de ruído específico, e Tn indica a máxima exposição diária permissível a este nível.

Para o exercício em questão o tempo de 30 minutos exposto ao ruído de 80 dB deverá ser desprezado, pois consideram-se nocivos ruídos a partir de 85 dB(A). Então, temos:
C1 = 4h; C2 = 1h; C3 = 1,5h; T1=6h; T2= 5h; T3=8h.
Aplicando a fórmula temos:
(4/6) + (1/5) + (1,5/8) = 0,66 + 0,2 + 0,19= 1,05
Como o resultado excede a unidade, conclui-se que o trabalhador está exposto a um ruído acima do limite de tolerância.

15.2 O exercício de trabalho em condições de insalubridade, de acordo com os subitens do item

anterior, assegura ao trabalhador a percepção de adicional, incidente sobre o salário mínimo da

região, equivalente a:

15.2.1 40% (quarenta por cento), para insalubridade de grau máximo;

15.2.2 20% (vinte por cento), para insalubridade de grau médio;

15.2.3 10% (dez por cento), para insalubridade de grau mínimo;

De acordo com o Decreto 34.573, de 04/03/1993, que Regulamenta a concessão do adicional de insalubridade, de periculosidade e de atividade penosa aos servidores públicos da Administração Direta, das autarquias e das fundações públicas do Estado, e dá outras providências:
Art.4º; § 3º Considera-se insalubridade de grau médio:
1 - as atividades ou operações que exponham o servidor a:
a) níveis de ruído contínuo ou intermitente superiores aos limites de tolerância;
b) níveis de ruído de impacto superior aos limites de tolerância;
c) exposição ao calor com valores de IBUTG (Índice de Bulbo Úmido - Termômetro de Globo) superiores aos limites de tolerância;
d) radiações não ionizantes, consideradas insalubres em decorrência de inspeção no local de trabalho; 
e) vibrações consideradas insalubres, em decorrência de inspeção no local de trabalho;
f) frio considerado insalubre, em decorrência de inspeção no local de trabalho;
g) umidade considerada insalubre, em decorrência de inspeção realizada no local de trabalho;
h) agentes biológicos.

Obs: Situações de risco grave e iminente são constatadas em atividades que exponham os trabalhadores a níveis de ruído, contínuo ou intermitente, superiores a 115 dB(A), sem proteção adequada. Poderá ser permitida a exposição do trabalhador, caso ocorresse em níveis de ruído acima de 115 dB(A), somente se o mesmo estiver adequadamente protegido. O agente ruído gera grau médio de insalubridade porque está acima dos limites de tolerância. Em relação ao fator de desvio, o mesmo deverá ser considerado para a exposição com agentes químicos. Exposição à ruídos não levam em conta o fator de desvio.
Alternativa A é correta.

 DOWNLOAD DE MAIS EXERCÍCIOS DEMONSTRATIVOS
 
                                                          

     

 
Copyright® 2017 - Todos os Direitos Reservados